terça-feira, agosto 30, 2011

pra você, Vinícius

Sabe quando você está cansado e resolve dar aquela sonequinha que escapa da hora e acaba virando quase a tarde toda? Pois é, faço isso uma vez na semana e decidi que seria hoje. Acordei com um sorriso nos olhos e querendo me matar por ter dormido demais. Sempre faço isso, apesar de ser rotina. Depois, vejo o quanto sou babaca e rio de mim mesma. E, depois de rir, lembrei de você. 
Não sei se você teve essa sensação algum dia na sua tão curta existência, mas, se teve, acho que sabe o que estou querendo dizer.
A questão é que dormir um pouquinho a tarde faz com que eu fuja desse mundo e encare um só meu - parece clichê mas, ah, Vini, isso é tão bom. - E encarar esse mundo me deixa mais forte pra acordar e enfrentar o de verdade. Você, através de lágrimas e pensamentos confusos, decidiu dormir por mais tempo - para sempre.
Oh, Vini, sinto tanto a sua falta. E não só eu, mas todos que conhecem a sua história. Sei que a vida te dá chicotadas e te sacode até doer, mas é tão necessário ser forte. É quase que resistir à tentação de deixar tudo e encarar um sono profundo.
Sabe, Vini, perdi uma amiga também e amanhã fará nove meses que ela se foi e dói com a mesma intensidade  de nove meses atrás. Lembro das nossas brincadeiras na escola e nas tardes que passava na casa dela. Lembro das sardas que ela tinha nos lábios e do cabelo dourado escuro. Lembro também da dor que ela sentiu em seus momentos finais e do adeus. Da primeira vez que a visitei no cemitério e do botão de rosa vermelha que levei. Falo toda noite a ela como passei o dia e como está a lua. Aliás, está uma noite linda, Vini. Tão linda quanto a noite em que você nos deixou.

Saudades de todos que perdi...

2 comentários:

  1. nossa Mari, me emocionou. Fiquei imaginando e consegui sentir o que o texto quer expressar... ficou muito bem escrito.

    ResponderExcluir
  2. está uma graça mesmo, adorei

    beijo
    =*

    ResponderExcluir